Este projecto nasce com uma forte amizade que já dura para lá dos 10 anos, na altura jovens imberbes com aptidão para a cozinha. Contudo, a amizade cresceu, o gosto pelos cozinhados também, e cresceram também os quilos que a balança teima e mostrar. Numa das muitas e longas conversas que ao longo de todo este tempo foram tendo lugar mais ou menos com a mesma regularidade surge a ideia de criar um projecto. Inicialmente a ideia passava por algo diferente, o Miguel desde cedo teve o gosto pelos livros ao passo que o André por seu lado, a sua grande paixão sempre foi o vinho. Jovens e inocentes, cheios de sonhos e projectos, sempre pensaram em abrir uma livraria-café/bar onde os clientes pudessem entrar, sentar olhar a vista sobre o rio (Tejo ou Douro), pedir um copo de vinho e ler um pouco. Com o passar dos anos o projecto foi ficando na gaveta à espera da altura certa, sem nunca sabermos bem quando esta iria chegar, se é que vai chegar e deixar de ser um projecto/sonho. É graças a grande amizade existente que os dois vão partilhando confidências, desabafos e até receitas. A ultima das quais, é a do bolo de maçã. O André experimentou esta receita e partilhou-a com o Miguel, ele resolveu experimenta-la e adorou-a, ele e toda a gente que a provou. Assim, numa daquelas conversas pelo telefone, sonharam com o lançamento de um livro de receitas, mas no imediato o blog é o mais fácil de conseguir. Talvez um dia este blog saía da Web e ganhe a consistência física do papel.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Molotof - Miguel

Olá a todos, hoje partilho convosco uma sobremesa em que o seu nome por si só já gera controvérsias, uns chamam-lhe Moltof, outros defendem que a origem remonta ao general francês Pélissier que foi apelidado de Malakov, e há ainda quem defenda que o seu nome é Pudim Molotov.

Passada a problemática do nome desta sobremesa, Molotof (que é como lhe vou chamar) é uma sobremesa adorada por uns e odiada por outros, confesso que nunca a tinha feito, achava sempre que aquelas regras: “bater as claras até ao ponto certo”, “o forno na temperatura exata”,” fechar portas e janelas quando for para o tirar do forno”, “jamais e em tempo algum abrir a porta do forno antes de tempo”…. Hummmm sempre pensei “esquece”.

Mas como devemos sempre superar os nossos medos e receios, no fim-de-semana passado pus mãos à obra e decidi fazer o doce tão tipicamente português – Molotof.

A receita foi-me dada por uma amiga e é partilhada aqui com a sua devida autorização.

Pudim Molotof, Molotov ou Malakov não interessa, o que interessa é que é delicioso.


Ingredientes - Molotof:

11 Claras
6 Colheres sopa Açúcar
Caramelo Liquido a gosto
Manteiga para untar

Ingredientes - Cobertura:

11 Gemas
1 Chávena de Chá Açúcar
1 Chávena de Chá Leite
Raspa de 1 Limão (pequeno)

Confeção - Molotof:

Ligue o forno entre os 180º a 200º e unte uma forma grande de buraco no centro somente com manteiga.

Bata as 11 Claras em Castelo (e reserve à parte as 11 gemas, de preferência coloque-as já num “tachinho”).

Quando as claras estiverem bem batidas, adicione as colheres de sopa de açúcar e bata novamente. De seguida, acrescente o Caramelo Líquido a gosto e volte a bater.

Coloque agora o Molotof na forma e leve ao forno em banho-maria, cerca de 45/50 min a cozer (depende do forno).

Atenção: 
Não pode abrir o forno enquanto o molotof estiver a cozer. 
Quando o retirar para fora do forno, não deverão existir correntes de ar nem janelas abertas, senão o mesmo baixa imediatamente!

Assim que retirar o Molotof do forno faça imediatamente a cobertura.

Confeção - Cobertura:

No “tachinho” onde colocou as gemas acrescente o açúcar e envolva até obter um creme. De seguida adicione o leite e raspa do Limão. Mexa tudo e, de seguida, leve a lume brando, mexendo sempre. Quando começar a engrossar retire imediatamente do lume, pois pode talhar. (Não deixe o creme ferver!)

Confeção - Final:

Basta desenformar o Molotof (cuidado pois está muito quente) cobri-lo com o creme, deixar arrefecer totalmente e levar ao frigorífico por umas horas.

Et Voilà - Bon Appétit


2 comentários:

  1. Sem dúvida que é um doce controverso mas é delicioso.
    Feliz Natal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim muito delicioso mesmo :)

      Continuação de Boas Festas :)

      Eliminar